terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Feliz Ano Novo 2021





Mais um ano acabando. Um ano 2020 singular, onde todos nós tivemos no mesmo barco. Este ano ficará inesquecível, marcado nas nossas memórias. 

O ano que está a chegar vai começar com a esperança de dias melhores. Pode ser que a vacina irá acabar com esta pandemia.  Queremos voltar a uma vida normal. 

Ouvimos dizer muita coisa, de tudo e de nada sobre este vírus. Quem pode melhor falar nele são os médicos, enfermeiros e todo o pessoal de saúde. 

Vamos apanhar todos esta carruagem  de 2021, durante mais um ano
que seja um ano de saude, amor e alegria
de paz, esperança
e sonhos realizados
e marcamos encontro daqui a um ano..

Beijos e abraços desta vossa amiga. 


domingo, 27 de dezembro de 2020

Um dia sem ti

 



Um dia sem ti

é como um dia sem luz
uma noite sem luar

é simplesmente 
solidão e tristeza
de não te ver,
não te tocar

teu abraço  envolvendo-me
junto a ti
teu beijo tão doce 
cheio de amor
Tuas palavras que tocam
a alma e coração.

Um dia sem ti
é uma eternidade
sem fim

Helena

sexta-feira, 18 de dezembro de 2020

Amor e Natureza




Repara aquela folha tremendo com a brisa

o aquela flor abrindo se sentindo um raio de sol

e aquela tornada levando tudo por onde passa

coisas da natureza

 também assim sou

 um beijo, uma palavra, um gesto

 e todo meu ser desperta

 imagina a natureza sem vento, sem sol, sem tempestades

 seria uma natureza morta, sem vida

 o amor também assim é.

Helena

 

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

NATAL É QUANDO UM HOMEM QUISER



Vim para França com 6 anos. Lembro que, até essa data, era o menino Jesus que vinha dar aquela pequena prendinha às crianças. Não se fazia árvore de Natal mas o presépio. Nos primeiros anos em França, meu pai só fazia o presépio, um grande e lindo presépio. Não éramos ricos, mas meu pai conseguia encher esse dia com alguma magia. 

Eu continuei igual a tentar encher esse dia com alguma magia para meus filhos, hoje para meus netinhos também. 
Este ano cancelei esta festa, não haverá Natal. Vamos esperar dias melhores para fazer nosso Natal em família. porque Natal é quando a gente quer; é  quando estamos todos reunidos, não importa a data.

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher
ARY DOS SANTOS

 

domingo, 29 de novembro de 2020

Domingo 29 de novembro, em tempos de pandemia !

 



Domingo 29 de novembro.

Estamos sempre em confinamento até o 15 de dezembro. As lojas de bens não essenciais reabriram ontem. 
A um mês do Natal, ainda não sabemos como ele vai ser, se em família o não. 

Esta pandemia é como se estávamos a fazer um marathon. E ainda só estamos a meio. A segunda metade vai custar mais. Porque estamos fartos disto. Queremos era parar  e voltar a nossa vida de antes. Um ministro disse que vai ser assim até o próximo outono. Um médico disse que o melhor para este Natal era que os pais e avós comessem na cozinha, não com os filhos.

 Neste Natal, ao meu ver, era que como pessoas responsáveis, não nos juntássemos. Sei que é difícil. 
Desde do 24 de março, não tenho saído de casa, não tenho entrado em lojas ou supermercados, não fui de férias. 
Pus a casa de cabeça para baixo. Penso que se o marido pudesse me vender, o teria feito. 

Coragem a todos, porque estamos todos no mesmo barco ! 
E so juntos conseguimos vencer !


sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Teu beijo é um raio de sol



Nestes dias tristes e cinzentos

teu beijo é um raio de sol

nascente do sorriso dos meus lábios


 

quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Fernando Pessoa....



 

Tudo o que é bom

                      dura o tempo necessário

                                                  para ser inesquecível.


 Fernando Pessoa


quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Esgotou-se a água




 

Abro a torneiro da água, e oiço um barulho esquisito e nada sai. Acabou-se a água, esgotou-se as fontes. Sabíamos que iria acontecer um dia mas não tão depressa. A gastávamos pensando que ela era inesgotável. Estragavamos água, deixiamos correr as torneiras sem cuidado. 

E agora ?

 Depois da pandemia que tivemos, só faltava isto. Ter de mudar nossos hábitos de  vida outra vez. 
Temos de comprar água em garrafas e economizá-la o máximo. Acabou-se as duches, deixando correr a água por cima de nós. As plantas agora são de papel, tecido o plastico.   Os legumes no jardim não crescem, porque nem chove. As paisagens estão a ficar secas e desérticas. 
Quando chovia não estávamos contentes. Como saberia bem a sentir agora cair sobre nós até ficarmos encharcados !


segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Meu doce amor


És meu doce amor

meu equilíbrio

mesmo se nossos sonhos diferem

nosso amor nos une

Por esses caminhos fora

através do tempo

contigo quero percorrer

de Veneza a Capri

passando por Florença

deixaremos traças

semeando nosso amor

em todos sítios

da Ponte Vecchio até o Rialto

mão na mão

iremos até nosso amor nos levar

helena

 

domingo, 22 de novembro de 2020

Se as palavras fossem minhas..




se as palavras fossem minhas

mataria a fome e a guerra
pelo este mundo fora

se eu mandasse na chuva
faria correr rios de água
no deserto

se o sol fosse meu
brilharia nos olhos
de todas as crianças

se o mundo fosse meu
seria um mundo de amor
e alegria

domingo, 15 de novembro de 2020

Quando eu morrer




Quando eu morrer

será que valeu a pena 
a vida que vivi ?
Que deixarei de mim ?
serei saudade 
de quem gostou de mim,
serei lembrança,
serei uma vela
que irá se apagando
com o tempo 
até ser esquecida.

Continuarei a viver
numa outra dimensão.
será uma nova nascença,
afinal o importante
vive dentro de nós,
é essa parte
que irá viajar,
através doutro tempo
por outras galáxias

Aquilo que vivi,
acompanhar pessoas em fim de vida
era afinal uma nascença,
e como toda nascença
algumas custam mais,
ver o lado positivo da vida
é essa
a morte é uma nova nascença
para uma nova vida
vivida diferente.

Quando a pessoa morre, 
sentimos que sua alma e espírito
sai do corpo
e vagueia pelo o ar
o corpo era um envelope
por isso o mais importante
a beleza da pessoa
é o que vive dentro dela.


Lena Franco

 

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

Sou...




 

Sou um eterno aprendiz 

que no traçado da história 

tenta entender quem sou. 

Sou apenas um caminhante 

a procura de mim mesmo.

Augusto Cury


quinta-feira, 12 de novembro de 2020

Outono em pleno confinamento





 Estes dias, em pleno confinamento, tenho saído uma hora por dia, e só a 1 km a volta de casa. Os dias estão a ficar curtos. O tempo tem estado bom, quase quente. 

E como sabe bem fazer uma pequena caminhada, aproveitar sempre este belo outono. 

Antes trabalhava, o tempo era pouco. Agora pouco mais se pode fazer.

Estas fotos são do bairro onde vivo.

sexta-feira, 6 de novembro de 2020

Vila da minha enfância

Quando emigrei para França, vim parar num canto dos mais frios, no este, no Territoire de Belfort; uma vila chamada Delle que faz fronteira com a Suiça e a 50 km da fronteira da Alemanha. Aquele departamento também é chamado “la trouée de Belfort”. Chamado assim porque fica no burraco entre duas serras: o Jura e Les Vosges; um verdadeiro corrente de ar, nada bom para os reumatismos. Foi por causa desse clima árido que meu pai logo que pude voltou para Portugal.

Pela a net fora, encontrei estas fotos recentes daquela vila; uma vila onde não voltei desde 1980.

Lembro me daqueles invernos, onde não se vê o chão de novembro até fim de fevereiro, coberto pela a neve. Quando andava na escola primária, ao sair das aulas da manhã às 11h, ia com minhas amigas fazer “de la luge” naquelas descidas; chegava a casa gelada, molhada; comia e depois voltava para as aulas da tarde.

Depois mais tarde, quando foi a altura do colégio e do liceu era diferente, ia mais cedo e o gelo, a neve quando era demais, tornava se difícil encontrar o bom caminho; o por escorregar no gelo o então as pernas  enterravam se na neve e às vezes apetecia  era voltar para casa. Eram bons invernos, com temperaturas sibéricas.

Boas lembranças…

 


O rio chamado “L’Allaine” que passa no centro. E em frente ja é a Suiça.

 


Um inverno 2005-2006, bém rigoroso…quém diz que não cai neve ? 



Uma praça, não me lembra o nome dela.



O rio de baixo do nevoeiro, parece aqueles postais de Natal…muito lindo, olhando o por traz da janela


Minha “luge” era assim….

Estas fotos são um pouco de mim, um pouco de mim ainda anda por ali. Vivi ali dos 6 anos até os 17, altura em que casei e mudei de departamento.


quarta-feira, 4 de novembro de 2020

Meu presépio de Natal


Fazer um presépio a partir duma caixa de sapatos e um caixote, 
depois de pintado, começou a ganhar forma



Antes do confinamento, tinha ido procurar tudo quanto precisava para o decorar. 

A verdade é que o presépio já está feita desde do 11 de outubro. 



Depois procurei o sitio mais adequado. Foi ali no salão, em altura, achei que seria o melhor sitio. 

Fiz o cedo para o aproveitar  mais tempo. 




Este ano ainda não sabemos como será este Natal. Será em família ? o sozinhos ? 

Natal foi sempre a altura em que consigo reunir meus filhos. 
Foi sempre um momento de alegria. Por enquanto não sabemos de nada.



Fazer o presépio, foi um momento em que me recordei dos anos passados. 
Quando era pequena, vivia num departamento de França muito frio e tínhamos sempre neve no Natal. 
O cheiro a chocolate quente, depois de chegar a casa toda molhada, por ter andado a brincar na neve com meus amigos. 
O a fazer as filhoses com o meu pai. O meu pai a cantar canções de Natal. 
Como era bom ! 
Recordar algumas lembranças sabe sempre bem. 
O tempo passou.

Hoje meu paizinho já não está. Minha mãe vai passar as festas sozinha. 



Aqui está ele , falta algumas luzes. Irei ver se encontro algo que goste.

Gostava que esta pandemia acabasse e nos deixasse tranquil no fim deste ano. 


 

segunda-feira, 2 de novembro de 2020

Amor sem medida



A partir dum poema meu, fiz este video.

 Encontrei a ideia no blog do amigo Vieira Calado. 




 

sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Visitando o passado



 

Escrever faz bem, faz mesmo reviver instantes do passado. 

Revejo as imagens desses momentos. Pensava que não iria conseguir escrever sobre minha vida.

 Mas conforme vou escrevendo, parece que um tapete vai se desenrolando...

é preciso é alguma concentração..

Retornar na memória do passado, e esse passado volta ao de cima, 

as palavras correm sobre o teclado. E acaba por nos deixar uma boa sensação. 

Ao reler, ver que o que está escrito, é exactamente o acontecido.


quarta-feira, 28 de outubro de 2020

meu maior tesouro é o nosso amor



 

meu maior tesouro é o nosso amor

nenhuma pedra preciosa, nenhum colar de pérolas
tem mais valor que,

quando me apertas 
                          entre teus braços
junto ao teu coração

quando tua boca 
                         beija a minha

isso é o meu maior tesouro

há pessoas que pensam que dar coisas de valor
                        é amar

amar é muito mais do que isso

é um passeio mão na mão
                      a beira mar

dançar
            na areia ao luar da noite

um jantar
            romântico a luz da vela

olhares silenciosos,

o encontro 
                de dois corações

teu sorriso,

quando dizes 
                que me amas

não quero pedras ao pescoço
mas teus braços à volta dele..

Lena


terça-feira, 27 de outubro de 2020

Maldito Covid, maldito virus





 vivemos num mundo perdido

cheio de dor, lamentações e medo

o inimigo anda por aí, por aqui, invisivel

desconhecemos suas armas, 

mal sabemos nos defender

vivemos num mundo terrível

cheio de dor, lamentações e medo

nossos governantes nos mentem

deixando morrer inocentes, idosos e doentes

nossas vidas mudaram,

tudo anda as desavessas

médicos e batas brancas cansados

andam na linha da frente,

são os soldados a combater esse mal

que se espalhou pelo mundo fora


Lena


domingo, 25 de outubro de 2020

Mudança de hora




 


Como todos os  anos, duas vezes, muda a hora. Uma vez para trás, outra vez para a frente. A primeira vez em França aconteceu em 1976. E em 2021 devia ser a última vez. Mas parece que irá continuar até um acordo entre os países.

Hoje mudou a hora e as 17 horas já estava a anoitecer. Os dias ficaram ainda mais curtos, menos luz, menos sol. Está bom para hibernar. Com o frio, a chuva, a neve e o gelo a chegar estamos a caminho de muitos dias em casa. 

Com este mau tempo, penso nos sem-abrigos, sem tecto, sem aquecimento, na rua, num banco público, debaixo dum caixote de papelão para se abrigar, sem comida, sem condições sanitárias, sem nada. Pessoas como nós,  sem ter o mínimo para poder viver com dignidade. E o lado disso vejo leis para proteger os animais, o que acho muito bem; mas deveriam se preocupar mais com as pessoas com poucos recursos, idosos, sem emprego, doentes, mulheres criando sozinha os filhos, precários, educação, saúde, habitação com condições.

Precisando de ajudas do estado para sobreviver, precisando do trabalho precário, aceitam tudo sem criticar, não dizem não. Não podem dizer "não". Mesmo se o mínimo que recebem não chega, sempre é melhor que nada. 
Só que não deveria assim ser; é intolerável aceitar ser remuneradas com migalhas. 

E o lado disso pessoas recebem milhões. 

Dois "mundos" diferentes coabitam neste país. 

Este governo está a "brincar", a "jogar" com a vida do povo. 



 

Cada dia mais de 40 000 pessoas infetadas. Em três dias é uma cidade inteiro como Clermont-Ferrand que está infectada inteiramente. 
Ontem 300 mortos. Os serviços hospitalares estão a ficar cheios. 

Que está a espera este governo para confinar a população ? Quer uma imunidade de grupo ? 

Já paises nordicos tentaram, e não funcionou. 
Desta forma vamos mesmo ir  a catástrofe sanitária. 
Daqui a uma semana se continuar assim, nem quero imaginar o que pode acontecer. 
Logo que houve uma pessoa a morrer por causa da covid19, já foi uma pessoa a mais. 
Tudo deveria ser logo feito para que não aconteça. Este governo está a "brincar", a "jogar" com a vida do povo. 

Em março, dizia que não era preciso máscaras, simplesmente porque não as tinham. Muita pessoa foi assim infectada. Não havia material de proteção nos serviços hospitalares.
 
E hoje a confinar as pessoas das 21h às 6 da manhã. Como se fosse nessas horas onde há mais riscos !
 
Desta maneira também está a pôr em risco pessoas com outras doenças, outras cirurgias que foram adiadas.

Queria mesmo acordar deste pesadelo, e ver que isto só foi mesmo um mau sonho.


sábado, 24 de outubro de 2020

Cores outonais


 

Gosto muito do outono, é minha estação preferida do ano. 

Estes dias, com tempo, tenho caminhado no bairro onde vivo desde 1992. 

Digo com tempo, porque estou sempre a parar a fim de admirar a natureza a minha frente.

 Olho para o céu com suas cores outonais, dos cinzentos ao amarelo, cor de rosa, etc, por vezes os raios de sol furam as nuvens. 

O sol joga às escondidas com essas mesmas nuvens. E com sorte, pode aparecer um arco íris, se houver uma chuvinha, na qual os raios de sol se refletem  e aparece como par magia aquele arco de sete lindas cores.

O video foi realizado com as minhas fotos

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

E é isto que é difícil: sentir que...

 


E é isto que é difícil : sentir que nos beijam a alma. Sentir que alguém se dá a esse trabalho. Que se empenha para chegar onde outros não chegam. Que quer de nós precisamente aquilo que não vê, mas aquilo que sente que somos. Que nos quer: por inteiro.
Beijar alguém é fácil. É um puro acto físico. Basta juntar duas bocas e um beijo está dado. Frio, vazio e sem sentimento. Apenas uma acto. Nada acrescenta e nada ensina.
Beijarem-nos a alma é que é difícil. Beijarem-nos e sentirmos que o mundo desabou. Beijarem-nos e percebermos que aquilo é tudo que ambos queremos. Beijarem-nos e finalmente sossegar. Beijarem-nos e apenas ficar.
Que quando duas almas se querem beijar, que nada as consiga travar!
- Rita Leston -

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Pausa-café



 

Um dos bons momentos quando trabalhava era a pausa-café. 

Quando comecei a trabalhar naquele serviço, tínhamos tempo de fazer essa pausa. 

Cada dia uma de nós levava um bolo o croissants ou outra doçura. Um momento  convivial. Era para esses momentos que trabalhamos em equipa. Existia solidariedade, ajuda. Éramos uma equipa unida. 

Com o tempo, essa solidariedade deixou de ser. O trabalho foi crescendo e a falta de pessoal fez que, já não era o que tinha sido. 


pandemia e novas tecnologias 

 


Vivemos uma época difícil. Evitamos de estar em família. 

Os filhos têm medo de visitar os pais. Os pais têm medo de receber os filhos. 

O vírus circula bastante nesta região e em todo o país. 

O positivo são as novas tecnologias, com as quais podemos falar e ver nossos filhos e netinhos. Uma maneira de ter uns bons momentos. 

Hoje foi meu netinho de quatro anos a perguntar quando é que ele podia vir ver o avô e a avó.

Compreendo melhor o mal que é feito nos lares, quando as famílias passam semanas e semanas sem se visitar....é simplesmente horrível, deprimente...

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Revisitar o passado

 


Escrever sobre seu passado, é revivê-lo.

é rebobinar a fita e voltá-lo a vê-lo

e é incrível como pequenos detalhes voltam a memória.

posso não me lembrar do que fiz ontem

mas lembro me de momentos passados quarenta anos atrás.


terça-feira, 13 de outubro de 2020

Tempos de pandemia


 

Vivemos tempos difíceis. Alguém imaginava que uma coisa dessas pudesse acontecer ? Estes meses o anos irão ficar nas memórias de nós todos. A vida torna-se mais complicada para alguns. Tudo mudou. Nossos hábitos tiveram de mudar. Nossas vidas mudaram. 

Não sabemos se estamos no princípio o  no meio desta pandemia. No fim, de certeza que não estamos. 

Em França esta pandemia começou com faltas de muita coisa. Falta de material, de máscaras por exemplo. Falta de coragem da parte dos  governantes de nos dizer a verdade, e isso continua. 

O vírus está a ganhar muito terreno. Vejo que pouca coisa é feita para conter a propagação dele. Um dos indicadores para saber o que se tem de fazer é saber se há lugar nos hospitais para receber doentes. Que coisa é essa ?  Não se deveria fazer algo antes que haja  tanta pessoa hospitalizada e a morrer?

Lena

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

Amor e Natureza

 


Repara aquela folha tremendo com a brisa
o aquela flor abrindo se sentindo um raio de sol
e aquela tornada levando tudo por onde passa
coisas da natureza
também assim sou
um beijo, uma palavra, um gesto
e todo meu ser desperta
imagina a natureza sem vento, sem sol, sem tempestades
seria uma natureza morta,sem vida
o amor também assim é.

Lena

domingo, 11 de outubro de 2020

Como é por dentro outra pessoa? - Fernando Pessoa

 


Como é por dentro outra pessoa?
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento.

Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição
De qualquer semelhança no fundo.

Fernando Pessoa

Prazer e Dor .........Leonardo da Vinci


 

Prazer e Dor são representados com os traços gêmeos, 

formando como que uma unidade,

pois um não vem nunca sem o outro; 

e se colocam um de costas para o outro 

porque se opõem um ao outro.

Leonardo da Vinci

terça-feira, 22 de setembro de 2020

23 de setembro, faço mais um ano....


 Tino Rossi dizia que a vida começa aos 60 anos,

uma nova vida, uma vida diferente pode começar com essa idade,
Depois de uma vida preenchida em ser mãe, criando seus filhos,
Depois de uma vida preenchida com seu trabalho,
cuidando dos outros,
resta-me agora a viver simplesmente, para mim
olhando a minha volta e tentar ser feliz,
estar sempre presente para meus filhos, 
porque serei sempre mãe até morrer.
E seguir em frente, ver o que a vida me reserva
Quinze anos atrás dizia que estava no meu outono,
e não estava, hoje sim... 
Ainda com mais experiência e sabedoria, 
e deixar perseguir o curso da vida
A vida é uma viagem,
pode ser boa o ruim
com momentos tristes o alegres,
feita de escolhas 
até ao fim







quarta-feira, 17 de junho de 2020

Palavras Mal_Ditas





Por vezes  nossas palavras vão mais longe que a nossa vontade.
 Dai evitar sempre de falar quando não estamos bem, quando algo nos irritou. 
Pensar antes de falar, diria o sabio.
 Eu sempre falo e depois penso no que disse, Depois tenho de assumir minhas decisões, as palavras mal ditas, palavras que fazem doer.
 Nessa altura é mesmo isso que procuro, palavras para fazerem doer, palavras cruas e duras.
 Isso é mal feito,sei.
Mas  nesse momento é minha arma para me defender do mal que senti, do mal que me foi feito. 
E claro no dia seguinte, fico arrependida. Reparar o mal que fiz, pedir desculpa.
Quando as palavras soltam com violência sou como uma tempestada que leva tudo o que encontra o sou como aquele vulcão adormecido que explode e a lava a ferver corre até ao mar estragando tudo no seu caminho. Sou mais ao menos assim. 

segunda-feira, 15 de junho de 2020

O amor só acontece uma vez...

O amor só acontece uma vez e quando acontece marca nossas vidas para sempre.
Quando vemos a pessoa amada o coração dispara, o corpo treme,
o frio na barriga acontece.
Pode se levar anos, mas quando vemos a pessoa amada o fogo da paixão se acendi,
quando nossos corpos se tocam parece que nunca saímos de perto
e assim o amor renasce, se acende, toma força, queima,
e quando você percebe já esta pensando na pessoa amada,
 já esta sonhando acordado,
 já esta como uma criança que acaba de ganhar um presente.
 O amor tem que ser vivido intensamente,
 ele só acontece uma vez, se você ama, se liberte...

Texto encontrado na net.




quarta-feira, 6 de maio de 2020

Es meu mar/amar



Eu não gosto muito de ti amor
gosto de ti, simplesmente
o muito não chega
o muito é pouco
porque tu es a imensidade 
es o infinito
es meu mar, amar
corres nas minhas veias
es vida,
alegria

Helena Franco

domingo, 26 de abril de 2020

Aide-soignante, personne vulnérable face à cette pandémie


Hoje meu post esta escrito em francês, foi nestas palavras que senti que deveria o escrever...se for preciso tentarei traduzi-lo.

Beijos e abraços para todos que por aqui passam...

Je me rappelle quand j'étais jeunette entendre ma mère me dire "helena la mer n'aime pas les personnes qui n'ont pas peur, elle emporte tout le monde que tu sois courageux, bon nageur, faut toujours rester humilde devant elle; c'est une force et contre elle tu es tout petit et tu ne peux rien"...Je devais avoir 10, 12 ans; malgré les grandes vagues je rentrais dans l'eau pour me baigner. Je n'avais même pas peur. Jusqu'au jour où on a dû aller me chercher, sinon j'y serais restée. J'avais 18 ans.

Face à cette pandémie ces mots me reviennent à la mémoire. Face à elle c'est un peu pareil, faut savoir rester humilde, prendre toutes les précautions nécessaires,éviter de prendre des risques. C'est notre vie qui est en jeu. Et on en a qu'une. En lisant un article, je me suis rendue compte que je faisais partie des personnes à risque. Que faire ? J'en ai parlé à mon employeur, qui m'a dit d'aller voir mon médecin. Celui-ci m'a arrêté de suite. La décision fut vite prise. Les jours suivants ont été horribles. J'avais envie d'enterrer ma tête dans le sable, de me cacher, d'être seule. J'avais déserté. Je me suis sentie comme un déserteur qui a fui pendant la bataille. J'ai abandonné mes collègues, les résidents de l'ehpad où je travaille comme aide-soignante. Mes enfants et mon mari étaient rassurés de cette décision, moi j'étais toujours dans le doute. J'aurais voulu continuer à travailler. Etre en arrêt maladie sans être malade c'est pas du tout mon truc. A chaque prolongation ce doute est toujours là. 

Je pense à mes collègues très, très fort, je sais que travailler avec la peur au ventre c'est très difficile. C'est une équipe très soudée, et ils vont y arriver, soutenu par notre direction...
J'espère que bientôt on pourra se revoir tous..

domingo, 23 de fevereiro de 2020

Viagem a Cuba


Que dizer de Cuba  ?
 Um pais que adorei visitar. Um pais muito pobre. Tudo no pais o quase tudo pertence o estado. Depois da revolução, nacionalizou tudo. Os medicos, advogados, empregados são pagos pelo estado e ganham entre 40 e 60 euros por mês. Para melhorar os fins de mês esses medicos, advogados, fazem horas extra em paladars privados (restaurantes) para as gorjetas dos turistas. A educação, a saude é gratuita. A escola é obrigatoria até os 16 anos; o estado paga os estudos universitarios, casa e comida os estudantes.
Em Cuba não existe eleições presidenciais, pq so ha um partido, e é o chef do partido que é presidente; não existe nenhuma oposição..
Logo que um cubano decide de emigrar, e fica mais de 22 mêses fora do pais, so pode voltar como turista..mas torna se quase impossivel emigrar por falta de dinheiro.
Os medicos cubanos que estão em Portugal, foram enviados pelo Cuba para um periodo de três anos e o salario deles é o estado cubano q o recebe…
Em Cuba ha falta de tudo, de medicamentos (paracetamol, antibioticos, anti-inflamatorios, etc.), por isso os medicos fazem muita prevenção...No supermercado ao lado do hotel onde estive so havia era bebida, café, pouca coisa de alimentar. Eu que bebo leite de soja, havia la uns três litros a mais de 7 euros cada um…
Cuba vive da agricultura, do café, rhum, cigarros, a cana de açucar  e muito do Turismo. 80 % da recolta é para o estado e o agricultor fica so com 20%..O trabalho na terra é muito duro e dificil, não vi la tractores...as terras são cavadas com bois como se fazia antigamente.
Os transportes publicos são (quase) inexistantes e torna-se um problema para as pessoas..Quando na quinta feira ia para o aeroporto vi dezenas de pessoas por varios sitios a espera de algum transporte. Nesses sitios onde esperam esta la um guarda que manda parar todo veiculo do estado que possa levar algumas pessoas...e é esse guarda que diz quais são as pessoas prioritarias.
Em Cuba existe duas moedas o pessos cubano para o povo e o CUC para o turista. Um CUC vale mais ao menos 1 euro. Um cubano que ganha 40 euros por mês não pode frequentar os café's e paladars. Uma bebida custa uns 3 CUC. As familias recebem todos os mês uma caderneta, onde esta o que  eles podem comprar a preço barato..pois tudo é racionalizado..por exemplo tem direito a 2 litros de oleo, se precisarem de mais 1 l vai custar 2 CUC. Uma familia com alguma criança de menos de 15 anos tem direito a carne de vaca..
Nas ruas não se vê pedintes, pode ser proibido, não perguntei. 
Vi pessoas sentadas, caladas, não se juntam, fez-me pensar a um Portugal antes do 25 de abril. 
Gostei daquele povo e ao mesmo tempo tive pena dele, merecia melhor. Cuba é uma ilha paradisiaca, tem boas praias, bom clima. O lado disso tem a capitala em ruinas. Pessoas a viver no meio delas, dentro daquelas paredes a cair, sem tecto.

Escrito em março 2019