domingo, 28 de novembro de 2021

Ela levava nos seus ombros um peso enorme....



 

Ela levava nas   mãos tudo o que tinha na vida. Numa das minhas caminhadas aqui à volta do bairro onde vivo, ia uma mulher à minha frente. Quem a visse podia pensar que vinha das compras com seus sacos cheios. Tinha três sacos não muito grandes. Ela era magra com calça de jean, um casaco de lã maior que outro casaco que tinha por cima e a agasalhava mais do frio. Umas botas pretas altas cobriam-lhe a perna toda até o joelho. Enquanto ia atrás dela pensei no que ela podia estar a pensar. E fiquei triste. Ela ia dum passo seguro, para não mostrar que não tinha para onde ir. Só a vi de costas. Ela levava nos seus ombros um peso enorme duma vida não vivida, de sonhos não realizados, dum futuro cinzento e incerto. Com o tempo a arrefecer espero que ela encontre algum sítio quente para  se aquecer. Alguém que lhe dê uma bebida ou uma sopa e a ajude a sair da rua. Desejo que consiga de novo reencontrar um pouco da sua vida.


sexta-feira, 26 de novembro de 2021

A pandemia..........dois anos depois



 

 Depois de quase dois anos a tentar viver com este vírus continua tudo no mesmo. Diria que estamos pior. Para janeiro querem começar a vacinar as crianças a partir dos 5 anos. Quando antes diziam que as crianças não eram contagiosas e não eram elas que estavam mais  em risco. Então porquê as vacinar ? Porquê ? E depois serão vacinados os bebês logo à nascença ? Também deveriam vacinar os mortos. Quem sabe se eles não vão contagiar a terra, o sítio onde estão enterrados ! 

Se estou a favor da vacina ?  Não estou. A vacina ao meu ver pode-se tornar mais perigosa. Já estamos a ver que mesmo sendo vacinados vai ser preciso fazer um teste para poder ir viajar ou visitar alguém a um lar ou hospital. A vacina não impede de apanhar esse vírus. Estando vacinados muitos deixaram de cumprir os bons gestos e boas atitudes e assim nunca mais saímos disto. 
Cada um deve fazer como entende, a vacina não deve ser obrigatória. Porque o corpo é nosso e não deve ser um ministro o presidente que pode nos obrigar aquilo que não desejamos.


quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Visita à minha mãe.....

 

Naquele dia de outubro cinzento decidi ir visitar minha mãe. O tempo não estava muito bom para aproveitar o sol à beira mar. Fui de autocarro, fica a 10 km da Nazaré. Quando cheguei fui em primeiro em direção ao cemitério visitar meu paizinho. Ele se foi em março de 2019 mas sua ausência ainda é muito grande e falar dele é ainda muito doloroso. 

Depois passei toda a tarde com a minha mãe. Conseguimos conversar sem nos chatear. Conversar da vida, da família e outras coisas. O dia não estava quente. Acendi uma fogueira na lareira como meu pai me tinha ensinado com uma pinhoca.  Ela tomou um cafezinho com um bolinho. O lume crepitava, iluminava a peça e nos aquecia. No fim do dia, quando a noite já começava a cair, tive de ir embora, apanhar o autocarro. Quando sai a chuva caia e o vento tinha-se levantado. Cheguei à paragem do autocarro toda molhada dos pés à cabeça. No chão onde metia os pés era só poças de água. O abrigo onde esperava o autocarro não abrigava nada. Entrava chuva de todos os lados com a ajuda do vento. Fazia de noite e naquela paragem não havia nenhuma luz. Quando vi aparecer o autocarro ao longe, já com 30 minutos de atraso, fiz-lhe grandes sinais da mão. Ele vinha muito depressa, quando me viu começou a travar, viu que não iria conseguir parar, acelerou e desapareceu. O vi ir sem parar, me deixou ali naquele abrigo que não abrigava. Estava ali a chuva, ao vento, ao frio e toda encharcada. A 500 metros dali havia um supermercado, fui até lá para pensar no que fazer. Até meu telemóvel estava sem rede. Ali bebi um café e sentei-me. Depois consegui encontrar um número de táxi da Nazaré.  Só esperei o tempo necessário para ele fazer a deslocação da Nazaré. 
São dias assim que ficam a ser dias inesquecíveis.





sábado, 6 de novembro de 2021

Vamos até à Nazaré


Quando a luz do sol no fim do dia, ilumina o Sitio.




A saudade é a tristeza 

que fica em nós 

                                                                     quando as coisas de que gostamos

                                                                              se vão embora


                                                       Sophia de Mello Breyner 


Vista sobre a Nazaré, à  noite.





Não existe sítio mais lindo que este Sítio, que é meu Sítio



E quando regressas ao Sítio,
passando pelas ruas estreitas...


A Nazaré tem aquela magia, está sempre diferente, sempre maravilhosa

sempre um encanto.









A descida do Sitio a pé...





porque cada pôr-de-sol na Nazaré é único e magnifico...





 Vale a pena visitar a Nazaré...



segunda-feira, 4 de outubro de 2021

Hoje fiz meu pão...


Lembro-me do cheiro de quando entrava numa padaria. lembro de comprar o pão ainda quente e começar logo a comê-lo tanto que ele era apetitoso.  Gostava de trincar nele e fazia "crac". O pão cheirava a pão. Cheguei a entrar numa padaria para me aquecer no inverno. Fazia calor, era um sítio acolhedor. 

Muitas dessas padarias desapareceram. Enquanto antes ia-se comprar o pão diariamente; hoje compra-se uma vez por semana e congela-se. 
Hoje compra-se pão nos hipermercados, pão sem cheiro, sem aquele gosto, por vezes parece elástico. Deixei de comer.

Então hoje decidi fazer meu pão. Ver se conseguia provar de novo o pão que ficou na minha memória. 

Com boa farinha, fermento do padeiro, água morna, azeite e sal, amassei tudo e cozi essa massa. 

Hoje comi bom pão, trinquei na côdea, e com bom cheiro a pão. Uma delicia. Já nem conseguia parar de o provar.










 


quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Hoje faço mais um ano...



 

Mais um ano passado, um ano diferente.Depois de muitos anos criando meus filhos e depois de muitos anos trabalhando, agora é tempo de pensar em mim. 

Viver por mim. 

Enquanto antes 24 horas por dia não chegavam; hoje tenho o tempo todo. E mesmo assim o tempo passa rápido demais e pouco se faz. 
Se calhar com a  idade faço tudo mais devagar. Deve ser isso.







 

 
 
Hoje cá estou a fazer mais uma primavera ou seja mais um aniversário outonal.

E neste dia queria vos agradecer muito pela vossa amizade, carinho que por aqui deixam sempre, mesmo se não estou tão presente como gostaria,

Beijinhos e abraços para todos vós.


terça-feira, 21 de setembro de 2021

Os versos que te fiz - Florbela Espanca

 



 
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que a minha boca tem para te dizer!
São talhados em mármore de Paros
Cinzelados por mim para te oferecer

Têm dolência de veludos caros,
São como sedas pálidas a arder...
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos pra te endoidecer!

Mas,meu Amor,eu não tos digo ainda.
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz

Amo-te tanto!E nunca te beijei...
E nesse beijo,Amor,que eu não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz!



segunda-feira, 23 de agosto de 2021

Lac de Servières



O lago de Servières é um lago francês de origem vulcânica localizado na chaîne des Monts Dore no Massif  Central, mais precisamente na região de Auvergne-Rhône-Alpes, no departemento  Puy-de-Dôme.



Um sítio calminho no meio da natureza a 1202m de altitude.

 Ideal no verão quando se procura alguma frescura para uma pequena caminhada de 45 minutos   

 Fica a uns 45 km de Clermont-Ferrand. 


Estas fotos são deste mês de agosto, do 18: e como se pode notar uma neblina pairava sobre o lago.

Achei-o feérico com esta atmosfera.



Um lago numa área de 15 ha e

                                                                de 26 m de profundidade máxima







Adquirido em 2020 à empresa Michelin, com a participação de fundos europeus, o Conselho Departamental de Puy-de-Dôme pretendia transformar este lago numa Área Natural Sensível (ENS). Lugar emblemático dos Puydômois, mas enfraquecido, o Departamento decidiu preservar seu equilíbrio ecológico, permitindo que todas as gerações, presentes e futuras, se reúnam respeitando seu ecossistema. Sua origem vulcânica, suas turfeiras e suas espécies de plantas protegidas tornam-no um lugar único e notável.



Desde o ano passado tomar banho nele é proibido, devido a isso,

tornou-se um sítio menos frequentado, mais calmo e agradável 












é por ali onde vou ao encontro da Natureza...........
 


terça-feira, 17 de agosto de 2021

"Se eu não voltar...




se eu 
         não voltar
                         amor
                                     não me procures
                                                                na linha do horizonte 
- que eu ando a navegar
                                    no fundo
                                                    dos
                                                          teus
                                                                 olhos..."

 

Mensagem
de Alfredo Reguengo

quarta-feira, 28 de julho de 2021

O TEU RISO - Pablo Neruda



 

Tira-me o pão, se quiseres,

tira-me o ar, mas

não me tires o teu riso.

(...)

ri, porque o teu riso será para as minhas mãos

como uma espada fresca.

(...)

mas quando abro

os olhos e os fecho,

quando os meus passos se forem,

quando os meus passos voltarem,

nega-me o pão, o ar,

a luz, a primavera,

mas o teu riso nunca

porque sem ele morreria.

domingo, 20 de junho de 2021

Sísifo - Miguel Torga



 

Recomeça...
Se puderes
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças...


Miguel Torga, Diário XIII.

quinta-feira, 20 de maio de 2021

Num abraço estão todas as palavras do mundo



Um abracinho bem sentido, apertadinho
é onde dois corpos se encontram e os corações se tocam,
se sentem,
e todas as emoções e sentimentos
entram em ebulição
e não,
não é preciso nenhuma palavra...
porque depois os olhares
acabam de dizer o resto
e as bocas se saboreiam,
se amam...

Um abraço é bom, faz bem, cura....
dá-se um abraço em várias ocasiões,
e nesse abraço estão todas as palavras do mundo...

Lena