domingo, 28 de novembro de 2021

Ela levava nos seus ombros um peso enorme....



 

Ela levava nas   mãos tudo o que tinha na vida. Numa das minhas caminhadas aqui à volta do bairro onde vivo, ia uma mulher à minha frente. Quem a visse podia pensar que vinha das compras com seus sacos cheios. Tinha três sacos não muito grandes. Ela era magra com calça de jean, um casaco de lã maior que outro casaco que tinha por cima e a agasalhava mais do frio. Umas botas pretas altas cobriam-lhe a perna toda até o joelho. Enquanto ia atrás dela pensei no que ela podia estar a pensar. E fiquei triste. Ela ia dum passo seguro, para não mostrar que não tinha para onde ir. Só a vi de costas. Ela levava nos seus ombros um peso enorme duma vida não vivida, de sonhos não realizados, dum futuro cinzento e incerto. Com o tempo a arrefecer espero que ela encontre algum sítio quente para  se aquecer. Alguém que lhe dê uma bebida ou uma sopa e a ajude a sair da rua. Desejo que consiga de novo reencontrar um pouco da sua vida.


4 comentários:

** L e n a ** disse...


Não conheço a razão por a qual o comentário que meu amigo Ryk@rdo escreveu não aparece aqui; por isso vou aqui pô-lo :

" R y k @ r d o " a ajouté un commentaire à "Ela levava nos seus ombros um peso enorme...."
Il y a 3 heures

Mais daqui a uns dias, na semana do Natal, pode ser que alguém a veja e lhe ofereça um prato de sopa quente. A partir daí mais ninguém lhe vai ligar. Se viver daqui a um ano terá outro prato de sopa. A semana do Natal é a semana do maior FINGIMENTO de muitos seres humanos, que existe. Pobres daqueles que têm por uma ou outra razão de viver na rua . Um domingo feliz ….

Abraço e/ou beijinho. .

Pensamentos e Devaneios Poéticos

CÉU disse...

Olá, Lena!

Essa mulher só é, minimamente ajudada, nesta época, porque é natal. Depois, o peso, os sacos e o frio voltam a abater-se sobre ela.
O texto faz pensar.

Beijinhos e boa semana.

Mário Margaride disse...

Olá, Lena.
Poema tocante. Onde as vicissitudes da vida, nos dão a volta, de uma forma impressionante.
Por certo essa mulher, terá no futuro próximo outra vida, outra alegria de viver

Continuação de boa semana, com muita saúde
Beijinhos!

Mário Margaride

http://poesiaaquiesta.blogspot.com

A.S. disse...

Um texto muito triste, comovente.
Nestes momentos, parece que nos faltam as palavras.
Deus nos criou para viver... e não para sobreviver!
Haverá alguém que fique indiferente perante as tuas palavras?

Uma boa semana para ti.
Beijinhos