sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Não me peças

Não me peças poesia,
Não peças...
Não !
Não peças !

Não peças,
O que não quero dar !
Não me peças,
O que não sei dar !...
Agora !

A poesia que pedes
Fala de amor e dor
Fala de paixão e traição
A poesia que pedes
é a fala do coração !...
Agora, não !

Agora não quero,
Não quero deixar falar o coração !
Não quero e pronto !...
Não quero falar em vão !

Talvez um dia,
Talvez...
Talvez na hora que vem !

Agora, não minha amiga ! Não !

Eu não quero ainda que soubesse.
Eu não consigo ainda que quizesse.
Compor poemas de amor...
Redigir lindas melopeias...
Enxergar o mundo cor-de-rosa.

Não, minha amiga. Não !

Eu não consigo e não quero.
Combinar as rimas
Ajustar os versos
Ritmar a poesia
Contar as silabas
Para sair o poema que tu queres !

Depois, depois !...
Quando o meu mar se acalmar
o sol despontar
o mundo mudar.

Depois sim, amiga.
Depois, talvez consiga !
Vou conseguir...
Na hora que ha-de-vir !

Fernando Marques


Esta poesia é do meu amigo Fernando do blogue "in coerências", que...quando quer, sabe escrever destas coisas.

24 comentários:

Fernando disse...

Já não me lembrava disto. Obrigado por mo lembrares. Já faz tanto tempo. O meu mar continua (mais)revolto. Um beijo.

Anónimo disse...

Muito bonita poesia
adorei
Beijinhos
Dia

F Nando disse...

Depois de ler acabo inevitavelmente por ir ver que mar está por lá...

Lena disse...

Fernando,

Uma linda poesia que escrevestes ha uns 3 anos, era pena a deixar numa gaveta dos arquivos dum blogue.
Tenho lido teus post's e comprendo que estajas mais revoltado...
a vida assim é...mal feita muita vez.

Um beijo grande.

Lena disse...

Dia,

é um talento escondido do Fernando
escrever assim...

Beijinhos

Lena disse...

F Nando,

...um mar agitado, onde não pode existir acalmia, quando vemos o estado deste pais chamado portugal...

Bjo

Vieira Calado disse...

Passei para desejar um bom e prolongado fim de semana.

Bjs

Lena disse...

Vieira Calado,

Obrigada pela visita Vieira,
um bom domingo para ti.

Bjos

meus instantes e momentos disse...

belo post, muito bom.
Maurizio

Lena disse...

Meus instantes e momentos,

Obrigada pela visita Maurizio,
volta sempre !
um bom domingo te desejo !

bjos

Mar Arável disse...

Todos os dias

construiamos memórias

de amigos

Duarte disse...

Boa poesia e bom acompanhamento.
Obrigado por trazer-me a obra do teu amigo e a voz de Cesárea Évora.

Beijinhos

Multiolhares disse...

E escreve coisas lindas
o nosso mar esta calmo
beijos

utopia das palavras disse...

Haverá sempre poesia
nos dedos
na alma
nos olhos!

Bonito de verdade!!!
Um beijo

Mário Margaride disse...

Olá!

É um belíssimo poema efectivamente.
Há lutos que temos que fazer, no entanto, a vida segue o seu percurso, e nós...temos que o acompanhar.

Uma excelente semana, com tudo de bom.

Beijinhos

Mário

gaivota disse...

e escreve bem o fvernando, coisas bonitas que sabem bem à alma...
beijinhos

poetaeusou . . . disse...

*
e se o não pedir,
é dar . . . poesia . . .
,
conchinhas
deixo,
,
*

Lena disse...

Mar Aravel,

A net nos permite de ter amigos de todos os horizontes...

bjos

Lena disse...

Duarte,

é sempre bom trazer a conhecer obras de amigos, como aqui o Fernando...

Beijinhos

Lena disse...

Multiolhares,

quando ele quer, sim..escreve assim...

aqui anunciam neve e mau tempo para amanha...

Beijinhos

Lena disse...

Utopia das Palavras,

Isto pode ser uma incitação
para ele continuar a poemar

Um beijo

Lena disse...

Mario Margaride,

A vida é feita de lutos
e seguir o caminho escolhido temos de continuar..

Beijinhos

Lena disse...

gaivota,

esperando que ele ouvisse...e que continue a nos dar destes versos.

beijinhos

Lena disse...

poetaeusou,

o dar e receber
isso é uma historia sem fim.....

Um beijo