quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Sou passageira do tempo



Neste mundo vagabundo
sou passageira do tempo
espectadora da vida
coisas pequenas mas intensas me tocam
esta semana, no meu serviço, um filho esta acompanhando a mãe nos seus ultimos dias;
o vi lhe falando, lhe dando a mão.
Meu pensamento foi para meu pai…quém lhe dera a mão ?

Sou passageira do tempo que passa
e vejo este mundo não andar a volta como devia
gerido por fantochas com suas fantochadas
enganando o povo
matando os fracos
apertando a vida de cada um
a vida que, em tempo normal é dificil

Sou passageira do tempo a vir
esperando, sonhando com dias melhores
sonhando, esperando que o povo adormecido,
anestesiado acorda
Depois de este tantos anos duros, tristes
não aceitem algum doce
que esses senhores estão para lhes ofrecer
em troca de mais cinco anos
a fantochar e a rirem se de nos.

18 comentários:

Duarte disse...

Ante tudo a dignidade da pessoa.
Usemos a inteligência.
Analisemos cada situação.
A vida será, sem dúvida, plácida.

Que sejas imensamente feliz

Um grande abraço de boa amizade

Anónimo disse...

Estamos sempre dando a mão e ao lado de quem amamos. Quando chegar a vez do teu pai, sei que vais estar com ele, assim como eu estarei com o meu
Beijinhos
Dia

Utopia das Palavras disse...

Passagem fugaz
que não me destina
com afago de dor
olvidarei...
e sempre
traçarei o trilho
mesmo que ingreme...
e farei dele
tapete de outonais
folhas
que serenamente
hei-de caminhar
até às minhas
auroras boreais...!

Beijo

Multiolhares disse...

No teu trabalho vês a vida e a morte
juntas, penso que quando estamos mais perto
da morte entendemos a vido em outra dimensão acabamos dando mais valor aos pequenos pormenores , como o dar a mão.
esse acto devia de começar quando a vida paira em nós pois é um acto de ternura e carinho, não o deveria só para ajudar na partida de um ente querido
beijos

gaivota disse...

passageira do tempo...
a morte é a única realidadae que a vida nos dá
na altura exacta estarás com o teu pai
beijinhos

Mar Arável disse...

Passageira do tempo

a intervir no tempo

para que o tempo

seja sempre melhor

Liar disse...

Lindoooooo!
Adorei.

Bjinho
Céci

poetaeusou . . . disse...

*
povo
que já não lavas no rio,
mas com a tua estupidez,
continhuas a talhar,
as tábuas do teu caixão,
,
revoltas maresias,
te envio,
,
*

Vieira Calado disse...

A bela suave música enquadra bem os seus poemas gentis.

Cumprimentos

Lena disse...

Duarte,

A dignidade da pessoa...
é uma luta de todos os dias onde trabalho;

feliz, é o que podemos desejar a cada um de nos.

Obrigada pela tua amizade Duarte

Beijinhos

Lena disse...

Dia,

Espero isso Dia, estar ao lado do meu pai quando for preciso;
so que existe esta distância...

beijinhos

Lena disse...

Utopia das Palavras,

Obrigada pela teu poema,
es poesia
mulher sentimental
e sensivel

beijinhos

Lena disse...

Multiolhares,

Dar a mão, não é simples sobretudo nesse momento da partida.
Dar a mão e estar a sentir uma vida se ir entre nossos dedos.
Mais o tempo passa e mais me custa ver pessoas deixarem de viver.

beijinhos

Lena disse...

gaivota,

so dessa temos a certeza que chegara um dia, não sabemos quando, nem como..

Beijinhos

Lena disse...

Mar Aravel,

se todos fizessem so um pouquinho
afim de melhorar a vida de cada um..
Bastava so um pequeno gesto
com "se", se refazeria o mundo

Beijos

Lena disse...

Liar,

Gostei da visita.
Obrigada

Beijos

Lena disse...

poetaeusou,

poeta saiste do teu anonimato..lol

Que fazer poeta, o povo vive sem se preocupar de nada, deixando-se manipular...

um beijo

Lena disse...

Vieira Calado,

Grata pela visita,
Sei pouco escrever a lingua de Camões, nunca fiz escola portuguesa, mas gosto de escrever nesta lingua que é a minha.
Gostaria de escrever com palavras mais procuradas, mais ricas, so que não as conheço.

Um beijo