terça-feira, 6 de abril de 2010

Dá-me a tua mão



Dá-me a tua mão: vou agora te contar
como entrei no inexpressivo
que sempre foi a minha busca cega e secreta.
De como entrei naquilo que existe
entre o número um e o número dois,
de como vi a linha de mistério e fogo
e que é a linha sub-reptícia.

Entre duas notas de música existe uma nota,
entre dois fatos existe um fato,
entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam
existe um intervalo de espaço,
existe um sentir que é entre o sentir
- nos interstícios da matéria primordial
está a linha de mistério e fogo,
que é a respiração do mundo,
e a respiração contínua do mundo
é aquilo que ouvimos
e chamamos de silêncio.

Miguel Torga

8 comentários:

gaivota disse...

é sempre bom ler miguel torga!
e a foto está muito interessante...
beijinhos
daqui por 1 semana a Maria do Mar tem mais uma noite de fadso...pode ser que ainda apareças!!!

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Lena, belo texto de Torga...Espectacular....
Beijos

A.S. disse...

Lena,

Um belo poema de Torga, que contnua entre nós através da sua incomparável poesia!

Beijos
AL

Duarte disse...

Uma excelente eleição: formaste uma trilogia adequada.
Um poeta que sempre admirei.

Bom fim de semana e um grande abraço

poetaeusou . . . disse...

*
amiga,
o grande Torga,
obrigado,
,
Por isso a vós, Poetas, eu levanto
A taça fraternal deste meu canto,
E bebo em vossa honra o doce vinho
Da amizade e da paz.
Vinho que não é meu, mas
sim do mosto que a beleza traz.
E vos digo e conjuro que canteis.
Que sejais menestréis
Duma gesta de amor universal.
Duma epopeia que não tenha reis,
Mas homens de tamanho natural.
,
in-Miguel Torga,
,
conchinhas, deixo,
,
*

Multiolhares disse...

Boa escolha, Miguel Torga Um poeta que pelas sua palavras perdura nas nossas mentes
beijinhos

gaivota disse...

linda... o inverno parece que voltou para ficar mais uns dias...
chuva e frio! à noite está mesmo muito frio!
mas o mar nem mexe, liiiiiiiiiiiiiindo
beijinhos

Nilson Barcelli disse...

Fizeste uma excelente escolha.
Obrigado pela partilha, pois não conhecia este poema.
Bom resto de semana.
Beijos.