sábado, 24 de outubro de 2009

Deixem me ser EU !


há algo em mim a roer
que me rói ca dentro
dentro do meu ser
este roído me impede de pensar
que fiz eu a Deus
para ser assim tratada ?
onde estava ele nesse dia
em que entrei naquele meio ?
de onde nunca vou sair
nem pela a morte.
Mesmo na morte
vão querer mandar em mim
só quero ser livre,
ganhar asas
e voar da minha falésia.
Deixar aquelas malditas pessoas
que não escolhi
continuarem a parecer
o que não são.
E que me deixem
me deixem ser eu !

22 comentários:

Multiolhares disse...

È o mundo que temos, onde todos querem mandar
Onde querem que percamos a nossa identidade
E nos transformemos em simples objectos manejáveis
beijinhos

Duarte disse...

Nunca estejas satisfeita com o que és,

se queres conseguir ser aquilo que ainda não és.


Um forte abraço e um bom fim de semana...

poetaeusou . . . disse...

*
amiga
,
não engendres
as arestas dos medos
livra-te de preconceitos
que os outros impõem,
ouve o mar
da falésia que é tua
e nas asas do vento
liberta o teu eu . . .
,
brisas de amizade
deixo-te,
,
*

gaivota disse...

a praia estava linda, os nossos amigos também, e o sítio à nossa espera!...
o fim de semanna foi terrível, recheado de todos os desconfortos e desgostos...
faz aí uma prece pelo joão, para que fique em paz, e que a violência tenha o seu fim...
beijinhos

lua prateada disse...

Desculpa entrar sem ser convidada, mas algo me despertou a atenção e lógico como não podia deixar de ser....mais uma revoltada!...
Não escolhemos nada amiga e a maior parte das vezes parece que só temos mesmo o que não queremos .
Quão vom seria podermos seguir nossos sonhos sem olhares por detraz duma janela sem um dedo apontando sem nada........como se fossemos invisiveis, mas infelizmente ainda não temos esse poder.
Força e
Beijinho com
SOL

Unseen Rajasthan disse...

Beautiful and lovely post !! Words are nice !!Thanks for sahring..Unseen Rajasthan

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!

Mário Margaride disse...

Querida amiga

Um poema pungente, onde manifestas uma enorme amargura e inquietação.

Não te deixes escorregar para a falésia, deita-te no verde prado, que te agurda, junto aquela colina, com vista para o mar.

Beijinho grande, e uma excelente semana!

Mário

Dia disse...

Ah Lena!
Como eu te compreendo...
E não sei se desenvolvi medos com a idade, ou se já vivi num pais onde fui mais livre...
O que sei é que cada vez me sinto mais assim, sem puder ser eu própria
Bjs

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Lena, belo poema...Espectacular....
Beijos

Lena disse...

Multiolhares,

Luna,
é mesmo isso Luna;
so que nem todos querem entrar naquele molde; e depois dizem de nos que somos selvagems, solitarios...por querermos guardar nossas diferenças e ensairmos de sermos "nos".

Lena disse...

Duarte,

Obrigada pelo teu bom conselho Duarte,
Ja gosto de quem eu sou;
vou seguir este caminho que é o meu...

um beijo e uma otima semana para ti

Lena disse...

Poetaeusou,

"livra te de preconceitos
que os outros impõem"...
os outros, neste caso, é a familia
a familia que não escolhi
e que pode ter palavras que fazem doer.

Quando não estou bém
é nesse mar onde mergulho
com os meus pensamentos.

Um beijo !

Lena disse...

Gaivota,

Imagino como pode estar a praia...
é so fechar os olhos...
Espero que tudo se acalme
e que o João descanse em paz.

Beijinhos

Lena disse...

Lua Prateada,

Fizestes bém entrar, a porta esta sempre aberta.
Uma revoltada e serei sempre assim, por tudo e em tudo.
Fui sempre criticada pela familia, devido ao meu modo de vida; sobretudo porque não sei parar e nunca estou bém onde estou...e mais....invejas, ciumes...

Beijinhos

Lena disse...

Unseen Rajasthan,

Thanks your visit.
Kiss.

Lena disse...

~*Rebeca e Jota Cê*~

Obrigada !

bjos

Lena disse...

Mario Margaride,

Escrevendo
ja alguma desta amargura saiu de mim...

Conheces aquele pequeno paraiso que é a Nazaré Mario ?


Beijinhos e otima semana !

Lena disse...

Dia,

Tudo é feito para sermos "robos",
para deixar de pensar,
para não sermos "nos";
e é sempre preciso aquela revolta interior para não perder nossa identidade como dizia a Luna acima.

Beijinhos Dia

Lena disse...

Fernando Santos (Chana),

Um poema escrito na "dor"...
Obrigada Fernando

beijos

alvaro de oliveira disse...

Visitei o seu Luar de Noite e gostei dos seus poemas, do modo belíssimo como os ilustrou e da música com que os vestiu. É simplesmente admirável.

Nem sempre o tempo me oferece tal oportunidade; mas vai ter-me como um visitante assíduo.
Um beijinho do Álvaro

Lena disse...

Alvaro de Oliveira,

é um grande prazer o ter aqui neste meu cantinho.
Vou escrevendo muito simplesmente, nem sempre como queria mas como sei.

Acho que conheço sua poesia desde do principio que comecei aqui na blogosfera, desde 2005 e sempre gostei da sua maneira de escrever.

Um beijo