terça-feira, 19 de maio de 2009

Relembrar...




Estes dias, depois de muita hesitação decidi arrumar as gavetas do passado.
Já faz dois anos, que, as coisas estão ali paradas.
Cada objecto, cada livro era vivo.
Tudo ali ficou, cada coisa no sitio.
Era impossivel la mexer o mudar algo de sitio, o meter aquele quarto em ordem.
O que faz aquele sitio singular e ainda vivo é o desordem que ali reina.
Então estes dias, peguei em cada objecto, em cada livro e arrumei-os em caixas...
com aquela sensação de deixar o passado para traz.
Uma pagina fechou se, enquanto outra abriu se.
Cada objecto, livro o roupa me trazia alguma lembrança e me deixava nostalgica.
Sou daquelas que tem têndancia a guardar tudo o muita coisa;
e minhas gavetas acabaram mesmo por estar cheias.
Essas coisas minhas que faziam parte do passado, também foram encaixotadas,
e levadas a uma associação.
As gavetas ficaram vazias.
O passado já passou, diz a canção...
Mas sera que devemos esquece-lo ?
Por vezes seria bom esquecer o pior e só se lembrar do bom.
Só que nossas memórias não funcionam bém assim.
Não são como essas gavetas que arrumamos e fechamos.

7 comentários:

Duarte disse...

Esta meditação tua é idêntica a uma que tive que fazer tempo atrás. Passamos página, mas ainda que a vida segue, e tem que prosseguir, não é fácil, não é o mesmo que fechar uma gaveta! Limpar tudo que nos faça recordar o passado é positivo, mas quando a mente active o gatilho da memória só pode superar-se com a força do presente, se esse atenua ou suprime as coisas do passado. Se é melhor, faz com que se suavizem.

Um bom livro para estas situações "Corta y vuela" de Fermín Zubiri, não sei se existe em francês ou Português.

Um grande abraço e todo o meu apoio

gaivota disse...

coisas que não se arrumam em gavetas...
limpamos, escolhemos, arrumos,
mas há aquelas "coisinhas"...
beijinhos

Mário Margaride disse...

Querida amigos:

As saudades eram muitas, sentia a falta de escrever, de vos sentir, da vossa amizade. Mas era muito importante para mim este espaço de reflexão, esta paragem.

Muito obrigado, pelo apoio, pelo carinho e compreenção manisfestados, ao longo destes dias de ausência.

Bem hajam!

Beijos e abraços com muita amizade.

Mário

gaivota disse...

lena... deixei-te um desafio/convite lá no meu cantinho... aparece e segue!
beijinhos

Mar Arável disse...

Aprendemos

também com as memórias

a construir amanhãs

poetaeusou . . . disse...

*
Lena
sou um infeliz !
as meus objectos, memórias,
vivencias, estão em ficheiros,
do meu humano disco rígido,
errei ao cremar a password,
terei que viver com eles,
ficarão sempre em mim,
,
gostei do teu post,
,
conchinhas amigas, deixo,
,
*

Mário Margaride disse...

Olá!

Há coisas que nunca esquecemos, ficam sempre na nossa memória.

Um bom fim de semana

Beijinhos

Mário