domingo, 19 de abril de 2009

Um dia na Nazaré


Quinta feira 16 de abril, saiamos de casa depois do jantar. Descemos da nossa falésia pelo o ascensor.
A 50 metros dali tomamos nosso cafézinho no "Cubata".
Continuamos até o cantinho das Pedras, apanhar algums raios de sol. Nessa tarde, aquela hora o sol nos sorriu. Ficamos ali até as nuvens chegarem e o vento começar a assobiar.
Chegamos a praça onde estão varios restaurantes e fomos em direção dum canto onde reside uma famosa pastelaria "a Batel".
Uma chamada o Henrique e esse amigo chegou logo a seguir; seu escritorio esta em frente.
Ali minha gulozice não resistiu. Pedi um Molotoff...e que molotoffffff!!!!!! nem cabia no prato.... Custou acaba-lo, mas não ficou uma migalha, acompanhado dum sumo de ananás. Quanto os homens foi cerveja.
Como era nosso ultimo dia inteiro na Nazaré andamos ali a saborear aquele ar, as palavras, aquelas ruas e praças sem pressa.
Entramos numa papelaria comprar cigarros para levar para minhas colegas (em Portugal custam quase metade do preço dos de cá).
Enquanto pagava, reparei numa vitrina livros conhecidos meus...livros da Francelina...fiquei ali parada, ver o qual iria levar.
O vendedor chegou ao pé de mim me vendo bastante interessada. E qual não foi minha grande surpresa quando ele me mostrou a Francelina em pele e osso...é sua esposa.
Todo vaidoso mostrou me artigos de jornais sobre ela e ela de me explicar como conseguiu editar seus livros e ao final me declamou um poema dela a maneira da Nazaré.
A noite para acabar aquele dia, fomos a "Maria do Mar", comer uma boa caldeirada da Nazaré; num ambiente sempre agradável, com fado em musica de fundo.

12 comentários:

Duarte disse...

Emocionante!!! Como descreves a tua experiência numa terra tão linda. Nota-se que a emoção se apoderou de ti, estás cheia desses cheiros, desses tons, dessas gentes, desse mar, são energias acumuladas que a vida queima com o tempo, mas que agora dão vida.
Que dure, e que não tardes em repetir.

Não te vejo morena, ainda que de algo tem que ter-te servido esses ares da Nazaré.

Um grande baraço

Lena disse...

Duarte,

E sabe tão bém andar na Nazaré nesta altura, onde não ha muitos turistas, onde a Nazaré pertence os nazarenos e os palecas nazarenos e o areal pertence as gaivotas...
onde se ouve as ondas do mar;
e gosto daquele povo, me sinto bém ali.

Olha aqui pertinho de mim ver se não estou "um pouco" morena Duarte...eu que estava branquinha como neve...
é verdade que o tempo não deu bém para isso...

um beijo

ZezinhoMota disse...

São estes momentos que vale viver uma vida...

E que hajam muitos momentos assim tão belos...

Feliz semana.

Bjnhs

ZezinhoMota

Lena disse...

ZezinhoMota,

São mesmo estes pequenos momentos que nos deixam feliz...


Um beijo

poetaeusou . . . disse...

*
Mulher da Nazaré
quando pisas o areal
juro por minha fé,
que és Maria de Portugal,
,
não há terra como a Praia,
nem Sitio como a Pederneira,
,
Divulga esta Terra
descoberta pelos franceses
nos anos 50, aquando do filme
Abril em Portugal,
,
o Henrique
um Empresário Honesto . . .
,
conchinhas, deixo,
,
*

Lena disse...

Poetaeusou,

Comprendo tua inspiração Poeta
Aquele mar, aquel canto é uma grande Fonte dela, e nunca seca.
Aquele mar tão vivo, so lhe falta a fala...
ele é mesmo demais.

Poeta, acho que a minha volta ninguém não pode não conhecer a Nazaré...não passa um dia sem falar nela...

um beijo

Multiolhares disse...

Sabes Lena, também me apaixonei pela Nazaré, nem sabes como é bom pela manhã ir na marginal para o trabalho 10 minutos que fazem o dia ter outro brilho.
As gaivotas no areal, este mal magnifico, o cheiro da maresia, uma delicia
beijinhos

Vitor Lopes disse...

engraçado, ainda recordo essa praça com os barcos a ocuparem o local onde funcionavam as esplanadas da época balnear.

Duarte disse...

As tuas palavras expressam a carga emocional dos dias ali vividos. Também gosto da Nazaré e há dois anos que lá não vou, que saudades!
Sim que se te vê morena, fica-te bem esse tom, é da Nazaré!

Beijinhos de boa amizade

Lena disse...

Multiolhares,

Imagino bém como deve ser bom Luna, começar assim o dia.
Também gostava....

Beijinhos

Lena disse...

Vitor Lopes,

Outros tempos Vitor,
bons tempos
tempos mais dificeis
para os pescadores e familias

um beijo

Lena disse...

Duarte,

Quando ali chego,
ja não consigo dali sair
queria visitar algumas coisas
e não me apeteceu

Ha sempre sitios que não nos deixam indiferentes e este um deles...

Beijinhos