terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Não me digas

Não me digas de escrever poesia,
em versos o em prosa;
hoje não consigo;
hoje não me apetece;

Pode ser amanha
o depois
se vier alguma inspiração.

Posso te falar do meu trabalho,
mas até isso
não quero;
a dor, a doença, a morte
estou farta, desgasta
de a ver, de a sentir.

Vamos falar da primavera,
de renascença,
quero renascer com ela
e florescer de novo;

Sair desta carapaça
onde me fechei.



10 comentários:

gaivota disse...

e a primavera é necessária e urgente, depois de todo este inverno longo e duro...
anima-te, lena!
beijinhos

poesianopopular disse...

Porque esperas mulher!
Deixa transbordar o teu querer, dá mais força á Primavera.
Beijocas amiga

Duarte disse...

Se não fosse pelo fundo diria que é um lenço do Júlio Romero de Torres, na que se inspirou o poeta, e até se criou uma canção... que diz... pintou a mulher morena...
“Julio Romero de Torres, pintó a la mujer morena, con sus ojos de misterio, y el alma llena de pena, puso en sus manos de bronce la guitarra cantaora y en su bordón hay suspiros y en su capa una dolora...”

Os teus versos suportam uma grande carga emocional, mas estão cheios de beleza... a beleza da alma.

Um grande abraço e a minha admiração

utopia das palavras disse...

Falemos então de Primavera, Lena!
Falemos sempre!!!

beijo

Dia disse...

Sim Lena!
Vamos deixar de tristezas e dar animo ás nossas vidas
Mil beijinhos
Da tua amiga
Dia

Multiolhares disse...

Não nos podemos fechar na carapaça da dor, da doença e da morte, sabendo eu que a vez diariamente, mas respira a vida que também aí muitas vezes é de novo ofertada
beijinhos de esperança

poetaeusou . . . disse...

*
amiga
e a Primavera está ali,
ao fundo, do Parque !
,
conchinhas,
,
*

Ofarol disse...

Lena
Em nós existe a Primavera
Basta “regar” com o querer...
Amor, sorriso e alegria
para ela florescer...

Um beijo

Vieira Calado disse...

Calma, amiga!

Vem aí o sol!

Bjs

Nilson Barcelli disse...

Concordo contigo, falar da Primavera é muito melhor. E, principalmente, vivê-la.
Belo poema, gostei imenso.
Beijo.