quinta-feira, 10 de junho de 2010

Deixei o tempo correr


Dias e dias passando a grande velocidade.
Tenho tido pouco tempo para parar e pensar.
Por vezes é melhor deixar se levar, fluindo como um rio...é o que tenho feito.
Por isso tenho andado ausente daqui e até ausente de mim.
Este ano não tem sido dos melhores e não ficara para recordação.
A vida tem daquelas coisas que pensamos só acontece aos outros.
E quando cai em nós ficamos atordoados, sem comprender, ficamos em pedaços, partidos, perdidos.
Fiquei sem inspiração, deixando de pensar, reflectir, escrever.
Espero brevemente voltar a postar, poemar e a vos visitar com mais assiduidade.

Deixo-vos beijinhos
e o meu grande obrigado pela vossa presença e amizade.


6 comentários:

alvaro de oliveira disse...

Olá, Lena.

No teu pequeno texto "Deixei o tempo correr" encontramos fragmentos poéticos muito ricos desde o «fluindo como um rio...» a um rítmo vagaroso e sereno até ao «ausente de mim.» numa mensagem calma, despoluída e livre. É, apesar de tudo, um convite à necessária tranquilidade de espírito.

gostei.

Segura um beijo meu

poetaeusou . . . disse...

*
amiga
há ausências,
bem presentes,
como é o teu caso !
,
pensa no teu adoptivo Mar,
e tudo resolverás !
,
conchinhas amigas,
ficam,
,
*

utopia das palavras disse...

Todos passamos por situações que nos ausentam como silêncios infinitos e ocos!
É bom deixar correr o tempo,a mente e o corpo para de novo nos reencontarmo-nos em pleno!

Tudo de bom para ti...

Beijo

Duarte disse...

O que dizes tem uma força tal que tudo atenua. Com isto não quero dizer que deixes de aparecer, nem pensar nisso!
Pensa em positivo: ainda estão por vir tempos melhores.

Abraços de vida e cuida-te

Multiolhares disse...

Espero que te reencontres breve,que tudo fique mais leve
beijinhos

helia disse...

Um lindo Texto . Gostei