sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Carlos Drummond de Andrade


"Que pode uma criatura senão, entre outras criaturas, amar?
 amar e esquecer, amar e malamar, amar, desamar, amar?
           sempre, e até de olhos vidrados, amar?"

                Carlos Drummond de Andrade

4 comentários:

Jaime Portela disse...

Tudo gira à volta do amor ou do seu contrário.
Belo pensamento.
Lena, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Mário Margaride disse...

Olá, Lena!

Gostei muito desta reflexão sobre o amor, de Drummond de Andrade.

Uma excelente partilha!

Boa semana.

Beijinho!

Lena disse...

Jaime Portela,

Obrigada pela a visita...
boa semana !
beijinhos amigo

Lena disse...

Mario Margaride,

Gosto que tivesses gostado :)
gosto muito da obra de Drummond de Andrade,
tudo como gosto daquilo que escreves Mario

Beijinhos