domingo, 25 de agosto de 2013

"Saudade"


Só quando abri a porta, vi uma etiqueta de lado no meu casaco de lã. Tinha-o metido ás avessas, aquela hora nem pensei muito. Deixei-o ficar assim. E depois as 6h30 da manha, ainda fazia noite, ninguem iria olhar para ele.
Liguei a rádio para despertar e estava a bela cansão da Cesaria Evora "saudade" a tocar. Só faltava a saudade, deu para voltar alguns segundos para trás, enquanto os semáforos estavam vermelhos, pensando em tudo de bom que deixei ainda há poucas semanas. A palavra "saudade" deu aquele apertinho no coração. 
 Hoje havia mais carros do que de hábito. Alguns estavam a regressar de férias para casa. Estamos mesmo no fim delas para a maioria. E outros ja precisavam de mais.
Foi mais um dia de trabalho passado. Agora a melhor hora do dia, hora da sesta...
Amanha será um dia de folga bem merecido.

4 comentários:

Duarte disse...

SAUDADE, quanto significa para nós! A única palavra dum dicionário que não tem a tradução precisa. Igual que maresia, são coisas muito nossas.
Criei uma definição que é a que ensino aos meus alunos.
A presença na ausência.
E expresso-a assim...

SAUDADE
Fizeste que esse liquido,
que tantas vezes sabe a sal,
deslizasse dos meus olhos
para acabar no canto da boca,
deixando-me perceber
esse sabor incomparável
a SAUDADE!!!

Um abraço bem grande, amiga minha

Que tatuagem mais simétrica e perfeita...

Lena disse...

Duarte,

gosto muito da tua definição, é mesmo isso "a presença na ausência",
e da tua poesia.
A tatuagem é uma rosa, mesmo se não da para ver muito bem..esta ainda não foi para ficar...

Beijinhos Duarte

Duarte disse...

Tudo se deve à constante busca, sem êxito, da definição duma palavra muito empregada, mas não sempre bem definida.
Não é algo que me agrade, algumas exageradamente marcadas e extensas, mas a subtileza que se pode perceber dá-lhe um matiz de certa estética. Melhor que não fique...
Beijinhos Lena

Vieira Calado disse...

Ah, todos os dias de descanso são bem merecidos!

Beijinhos... e bom domingo!