quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Pela manha


Esta manha, quando sai a rua,
o frio acabou por me acordar.
Que tempo !
Estava bom era para ficar de baixo dos cobertores.
As telhas estavam branquinhas de gelo;
o vento cortava os dedos.
Terei de procurar as luvas e a toca.
Ao sair de casa, pelas 6h30 da manha,
admiro as pessoas que por ali andam
seja a passear seu cãozinho
o outra para ir ao pão e aos croissants.
E eu ali fora sem me apetecer.
Meu carro me indica que la fora so esta um grau,
ligo o aquecimento, ver se meus pézinhos aquecem.
Os dias encurtaram,
o inverno está a porta com sua beleza e seus aborrecimentos.
Hoje foi um dia escurro,
sem ter visto o sol.
O tempo e eu nos confundimos.

Esta foto foi feita da minha janela, do meu ninho no Sitio da Nazaré.

domingo, 26 de outubro de 2008

Prisão de solidão


Meus sentimentos estão coados
presos por dentro
numa prisão de solidão
o amor fugiu
desapareceu do meu alento.

Pelos caminhos sombrios
inundados com a neblina
carregada com meu fardo
cheio de amarguras
procuro no horizonte
a luz do amor.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Intervalo


Neste meu cantinho, nunca falei de problemas actuais;
e são bastantes.
Penso que há quem saiba falar neles melhor do que eu.
Também não quer dizer que não conheço essa realidade.
Indo varias vezes a Portugal e vivendo em França
posso apreciar as dificuldades de cada povo;
sentir esta crise, cada vez mais apertando todos nos.
Fico na expectativa do futuro.
E minha pergunta é :
como se vai conseguir sair desta ?
Esta crise quem a provocou ?
Não foi quem tem agora mais problemas?
Os bancos, os especuladores e os governos...
E quem vai sofrer mais ?
Serão sempre os mesmos, claro.
Quando não há crise, esses senhores de la de cima dizem que não há dinheiro...
e quando ela aparece,
pois ai nem pensar...
A crise é culpada de estarmos mal
e por vezes em situações tão delicadas.
Este post só foi um intervalo.
Continuarei a escrever meus sonhos e mais algumas coisicas.

domingo, 19 de outubro de 2008

Quando chega o sabado a noite...



Quando chega o sabado a noite;
ela esquece seu dia-a-dia,
retirando seu casaco, impregnado de todas as dores, tristezas da semana.
Toma um duche, para lavar sua alma, refrescar a cabeça;
frente ao espelho, olha para ela, pinta os olhos, um baton nos labios.
Hoje é o seu dia, onde ela se reencontra.
Sua roupa esta pronta em cima da cama.
Enfia suas meias pretas com renda até ao alto da perna;
veste uma saia cinzenta, por cima do joelho e um pequeno top;
algo de ligeiro para não sentir muito calor ao fim da noite.
Por acabar perfuma se com seu "Hermès";
veste um casaco e calça uns sapatos.
Quando chega a associação, a sala esta bastante animada; a musica esta optima e as pessoas estão divertindo-se.
Não sabia dançar;
mas depois daquele acidente em que pensava ficar numa cadeira de rodas;
quiz aprender...
quiz reviver...
quiz fazer muita coisa que não fazia antes.
Antes pensava que havia tempo.
Hoje quer profitar de cada instante.
Assim a valsa, o vira, o tango não tem segredos para ela.
Quando ela entra na dança,
a musica entra nela
e o corpo se move ao som da melodia.
Mais um sabado se acabou, voltara no proximo...

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Porque é fim de semana...





Algumas fotos dum passeio para os lados de Biarritz...
Desejo-vos um bom fim de semana...
Beijinhos a todos !

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Baladas de Orvalho (Passos de Anisa - 30)



talvez me demore
as aves adormeceram as noites passam arrastando sonhos e ilusões
dobro-me agora à tua ausência e confesso-me ainda mais vazio
nada tenho para dar-te senão manadas de silêncio frio que as montanhas produzem quando acordo
aqui sorvo apenas demoras e acasos no desfiar de paixões inacabadas até que as aves regressem do seu sono

Alvaro de Oliveira

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Um dia no meu dia-a-dia



Ela tem a dor no olhar

e o medo do fim

sabe que seus dias estão contados

procura no fundo de mim

alguma esperança

lhe dou meu sorriso

e algum reconforto

procurando se ela não sofre

ela entrou naquele tunel

por onde seguem as almas

dos corpos sem vida.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Para ti...



Nem larguinha, nem baixinha

mas sim apaixonada por ti

com paciência e determinação

segui minha intuição

te dei meu coração

não é ilusão

este amor é sincero

não mudes em nada

é assim que te quero

não es prisioneiro deste amor

não deixes de ser esse homen livre

que tanto amo e aprecio

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Sonhadora romantica


Sonhadora romantica

viajo na galactica cosmica

interplanetaria do universo

nos tumultos das profunduras dos oceanos

nos turbilhões do centro da Terra

nos séculos passados

da guerra de Troia

pelas Revoluções.

Mulher sensivel, apaixonada

que te ama

minha viagen preferida

é aquela que fazemos juntos

que nos leva até o céu

por cima das nuvens

do universo sideral.

domingo, 5 de outubro de 2008

Se fosse...

Se fosse uma flor

seria um cravo branco,

por sua beleza delicada,

seu perfume, sua transparência

Se fosse um animal

seria uma borboleta,

por ter uma certa liberdade

Se fosse um pais

so podia ser o meu Portugal

Se fosse um sitio,

seria entre teus braços

Se fosse um astro,

seria a lua de noite para te alumiar

e o sol de dia para te aquecer

Se fosse um elemento,

seria o ar que respiras

Se fosse um mês,

seria um mês de calor

Se fosse uma idade,

seria a minha

Se fosse uma parte do meu corpo,

seria os olhos para te ver

Se fosse uma parte do teu corpo,

seria tuas mãos para me tocares

Se fosse um sentimento,
seria a sinceridade e a intuição
e muito amor para te dar.


Aldina Duarte..."Princesa prometida"

Depois do pedido, meus agradecimentos



Só posso vos agradecer pela vossa grande participação ao meu post anterior. Foi uma maneira interessente de vos conhecer, conhecer vossos gostos.

Não se diz "diz me o que gostas, te direi quém tu es ", o qualquer coisa assim neste généro.

Mas foi sobretudo para mim, uma boa oportunidade para conhecer mais cantores e autores. Meu conhecimento em cultura portuguesa é mesmo muito pobrezinha.

Preparei-vos uma pequena prenda; preparei uma lista com as canções escolhidas:

Para a multiolhares encontrei o Paulo Gonzo "sei-te de cor"

Para o poetaeusou é Ana Moura "os Buzios"

Para o nando escolhi esta canção de Jorge Palma "Estrela do mar"

Para ti gaivota foi a procura pela a Nazaré e encontrei o Francisco Taveira "marcha concorrente ", espero que gostes.

Para a Dia, esta linda canção de Dulce pontes "Canção do mar"

Para o profeta não encontrei, tenho pena... profeta se a tiveres numa gaveta, envia-a..ta ?

Duarte, também não encontrei essa canção da Aldina Duarte, encontrei outro titulo dela, assim da uma ideia, escolhi a "Anjo inutil"

poesianopopular, a escolha foi dificil, gosto das canções todas do Zeca, escolhi esta "venham mais cinco"

Para ti utopia das palavras aqui esta o Pedro Barroso "Bonita".


E aqui deixo também uma lista de livros escolhidos por vocês :


-"A promessa da imortalidade" de J.Donald Walters (Swami Kriyananda)

-"A casa quieta" de Rodrigo Guedes de Carvalho

-"Qualquer coisa de bom" de Sveva Casati Modignani

-"A viela da Duquesa" de Sveva Casati Modignani

-"O codigo da Biblia"

-"Daqui ouve nome Portugal", Eugénio de Andrade

-"O Tempo das Giestas" de José Casanova

-"50 anos de Economia e Militância" de Sérgio Ribeiro

-"A sombra do Vento" de Carlos Ruiz Zafon

-"Memórias das minhas putas tristes" deGabriel Garcia Márquez


quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Um pedido


Para já agradeço-vos pelos vossos comentários; sem eles ja teria desistido.

Hoje sem meu blog, me sentiria ainda mais longe do meu querido Portugal: ele é uma ponte entre vocês e eu.

Com vocês tenho me enriquecido bastante.


Descobri a literatura e boa musica portuguesa.

O ultimo livro que li foi " Chocolate " de Joanne Harris. Depois desse ja comecei outros, sem conseguir os acabar.

Jorge Palma é um cantor que descobri por aqui também e de quem não me farto de ouvir suas melodias.

Se vocês quizerem, gostaria que quando por ca passassem, me dissessem o ultimo livro lido e a sua canção favorita.

Obrigada a todos desde já...